PLANEJAMENTO

ORÇAMENTO – PRIMEIROS PASSOS

Ei, princesas do Para Sempre Sim.

Quem é vivo sempre aparece, não é? Então, apareci. E vim com um post de grande utilidade para vocês, noivas.

Hoje nós vamos falar do tão temido, hostilizado e odiado ORÇAMENTO.

Mas calma aí, mulher. Não arranca os cabelos não porque você precisa deles intactos e perfeitos pro teu grande dia.

Nós vamos tentar tratar do assunto de forma fácil e simplificada para que você entenda tudinho da melhor forma.

Então, bora começar…

 

  • QUEM VAI CONTRIBUIR?

 

A primeira coisa a se decidir é sobre quem vai contribuir com o casamento em si, cerimônia e festa, não com móveis ou qualquer outra necessidade da futura casa do casal.

Por vezes os pais, ou até algum outro parente ou amigo chegado, quer ajudar no orçamento do casamento além dos noivos.

É recomendável que cada um converse com sua família: o noivo com a dele e a noiva com a dela. Melhor ainda que isso seja feito de maneira separada.

Conversado e entendido sobre quem contribuirá, devem ser somados todos os valores e com o total obtêm-se o orçamento final.

 

 

  • QUANTO TEMOS, HEIN?

 

Passada a parte do quem, vamos a bufunfa, valores.

Tenha anotado o valor “total” do orçamento e.. Planilha! Faça uma no Excel, você vai precisar.

Com ela você anota todos os itens e os gastos que terá com cada um deles, o que já ajuda na hora de não perder o sono (ou não, né. Quem diz que noiva dorme?)

Mesmo com a planilha, aconselho que a noiva tenha um caderninho ou caderneta onde anote os valores do orçamentos que fizer antes de escolher o definitivo para a festa.

 

E tenha em mente que você vai gastar essas porcentagens aproximadas:

 

Recepção (incluem-se aqui buffet, docinhos, mesas e cadeiras, copos, ornamentação, pratos, bebidas, bolo e etc): 48% – 50%

Cerimônia: 2% – 3%

Flores: 8% – 10%

Vestuário (noivo, noiva, daminhas): 8% – 10%

Entretenimento / Música: 8% – 10%

Fotografia / Vídeo: 10% – 12%

Impressos/Papelaria em geral: 2% – 3%

Estacionamento / Transporte: 2% – 3%

Lembrancinhas: 2% – 3%

Alianças: 2% – 3%

Extras e imprevistos: 8%

 

  • BORA PRO VAMO VER (NO MELHOR SENTIDO DA COISA)

 

Já sabendo o valor que pode gastar, orçando por aí e com a planilha em mãos, você precisa observar algumas coisas:

 

  • Antecedência: é uma palavra de ouro aqui.

Quando o assunto é casamento, é necessário que as organizações comecem, no mínimo, com um ano de antecedência. E se for antes disso, melhor ainda!

Assim que houver alguma decisão ou definição por parte de você e o noivo, comecem a economizar o máximo que conseguirem.

 

  • Número de convidados: ele é um dos fatores principais no estabelecimento de custos do casamento.

É através dele que se determina q quantidade de comida e bebida, detalhes da ornamentação como a quantidade de lugares e etc…

Sendo assim, deve ser estabelecido logo de começo, mas não vamos falar nesse post de como fazer isso já que se tem um assunto que causa treta em casamento, esse assunto é o número de convidados.

 

  • Defina os profissionais sem os quais você não pode viver:

Sabe aquela filmagem que você viu e disse que não seria seu casamento se não tivesse uma igual? Então, essa, assim como todos os profissionais que você pensa dessa forma, é uma prioridade.

Assessoria, fotografia e vídeo são serviços pra lá de necessários e aqueles que você deve procurar antes dos demais.

O primeiro evita muitas dores de cabeça, enquanto o segundo e o terceiro te darão lágrimas (eu acredito e profetizo que de alegria. Eu ouvi um amém?)

 

  • SOS Imprevisto:

Assim como em tudo na vida, o casamento pode ter imprevistos, e na maioria das vezes eles doerão no bolso.

Então, tenha uma reserva de 5 a 8% para essas casualidades.

 

E algumas diquinhas mais práticas…

 

  • Já falei no item anterior, mas nunca é demais: assessoria.

Orce ao menos três profissionais responsáveis por organização de casamento e feche com o que mais te transmitir tranquilidade.

 

  • Não decida nada no calor da emoção:

Você poderá, por muitas vezes, se arrepender de decisões feitas quando os nervos estão à flor da pele; Esfria a cabeça, toma um chazinho de camomila e vá repensar.

 

  • Não seja tão difícil:

Algumas coisas vão sair totalmente do seu controle e, ao invés de pegar birra, você precisa ter a temperança e maleabilidade necessária para lidar com tudo.

 

Enfim, esses são os primeiros passos para o orçamento do Grande Dia.

Para esse não ficar imenso, vou fazer um post complementar em breve com mais detalhes, então fiquem de olho.

Digam aqui nos comentários o que acharam e se ajudou.

Beijinhos e até o próximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *